Grupo de Jovens Ágape

devoltaaoprimeiroamor@gmail.com, Uberlândia MG, Brazil
Para o Grupo de Jovens Ágape aprender a viver uma vida em comunidade à luz dos valores cristãos, constituindo a unidade e comunhão entre o grupo é o nosso maior propósito...afinal somos mais que participantes do mesmo grupo ou simplesmente amigos... o nosso valor principal é fazer parte de uma família...a família Ágape.

terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Santíssima Trindade


A Santíssima Trindade e seu mistério são o centro de nossa fé. Devemos adorar a um único Deus, na trindade e na unidade, não confundindo as pessoas e nem as separando... Pai, Filho e Espírito Santo são a mesma essência e estão sempre juntos.

Eles vivem e agem em comunhão. Fazer uma comparação, pode até não ser correto, pois diminui este mistério, mas o fazendo, a Santíssima Trindade seria como o leite com toddy e açúcar, três substâncias diferentes, mas que se juntam e formam uma só, que não se separa.

Deus desde a criação do mundo age em comunhão com o Filho e o Espírito Santo:
“Então Deus disse: ‘Façamos o homem nossa imagem e semelhança’.” Gênesis 1, 26a

Deus Pai ao criar o homem chama as outras pessoas da Trindade – Filho e o Espírito Santo – o Pai fala usa e fala no plural porque Ele não nos faz sozinho, mas em união com os dois. Nós somos a imagem e semelhança da Trindade. As três pessoas são para nós um só Deus, aquEle que é digno de toda honra, glória e louvor.

O Pai é Deus:
“Há um só Deus e Pai de todos, que atua acima de todos, por todos e em todos.”
Efésios 4, 6

O Filho é Deus:
“Pois o Pai ama o Filho e mostra-lhe tudo o que faz; e maiores obras do que esta lhe mostrará, para que fiquem admirados.”
João 5, 20

O Espírito Santo é Deus:
“Pedro, porém, disse: ‘Ananias, porque tomou conta Satanás de teu coração, para que mentisses contra o Espírito Santo e enganaste acerca do valor do campo? ... Não foi aos homens que mentistes, mas a Deus’.”
Atos dos Apóstolos 5, 3 – 4b

No batismo de Jesus as três pessoas se fazem presentes:
“Quando todo o povo ia sendo batizado também Jesus o foi. E estando ele a orar, o céu se abriu e o Espírito Santo desceu sobre ele em forma corpórea, como uma pomba; e veio do céu uma voz: ‘Tu és meu Filho bem – amado, em ti ponho minha afeição’.”
Lucas 3, 21 – 22

Santo Agostinho tentava entender o mistério da Santíssima Trindade, um dia andando na beira do mar pensando neste mistério encontrou uma criança pegando a água do mar e colocando em um pequeno buraco na areia. Santo Agostinho curioso com a cena foi até o menino e perguntou a ele o que ele estava fazendo, a criança respondeu que iria colocar toda a água do mar naquele buraco, Santo Agostinho disse-lhe que isso era impossível e o menino respondeu-lhe: “É mais fácil eu colocar toda essa água aqui, do que você conseguir entender o mistério da Santíssima Trindade.”.

Nós somos batizados em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, conforme Jesus ordenou a seus apóstolos que fizessem.
“Portanto, ide e fazer discípulos meus todos os povos, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.”
Mateus 28, 19

As três pessoas estão em perfeita comunhão e união formando um só Deus, o qual nós amamos e adoramos... possuem a mesma natureza, grandeza, sabedoria, bondade e santidade...

PAI (criador): primeira pessoa da Santíssima Trindade (não ver como uma hierarquia) porque Ele é a origem, o Pai não foi criado e nem gerado, Ele sempre existiu... é o principio e o fim (alfa e ômega). Enviou o Seu Filho, Jesus Cristo para nos salvar e assim revelou o amor infinito que Ele tem por cada um de nós seus filhos.

FILHO (redentor / salvador): Ele é gerado do Pai, consubstancial a Ele, da mesma natureza que o Pai, Sua natureza é divina. Jesus tem uma natureza divina e uma humana. Jesus é o Filho perfeito, responsável pela REDENÇÃO/SALVAÇÃO da humanidade.

ESPIRITO SANTO (santificador): procede do Pai e do Filho ao mesmo tempo, personaliza o amor de Deus Pai e de Deus Filho para com os homens. No batismo de Jesus, Ele se manifesta em forma de uma pomba (Lc 3, 21 – 22) e foi plenamente revelado em Pentecostes. O Espírito Santo caminha conosco, Ele é o canal de graça do Pai e do Filho com Seus filhos, é o elo entre o céu e a terra. Estabelece entre Jesus e os fiéis uma comunhão íntima tornando-os um só corpo. No Antigo Testamento Ele falava pelos profetas. O Espírito Santo é responsável pela santificação da Igreja e do mundo com Seus dons.

“A origem eterna do Espírito revela-se em sua missão temporal. O Espírito Santo é enviado aos apóstolos e à Igreja tanto pelo Pai, em nome do Filho, como pelo Filho em pessoa, depois que este tiver voltado para junto do Pai. O envio da pessoa do Espírito após a glorificação de Jesus revela em plenitude o mistério da Santíssima Trindade. A fé apostólica no tocante ao Espírito foi confessada pelo segundo Concílio Ecumênico, em 381, em Constantinopla: ‘Cremos no Espírito Santo, que é Senhor e que dá vida; ele procede do Pai’. Com isso a Igreja reconhece o Pai como ‘a fonte e a origem de toda divindade’. Mas a origem eterna do Espírito Santo não deixa de estar vinculada à do Filho: ‘O Espírito Santo, que é a Terceira Pessoa da Trindade, é Deus, uno e igual ao Pai e ao Filho, da mesma substância e também da mesma natureza... Contudo, não se diz que Ele é somente o Espírito do Pai, mas ao mesmo tempo o Espírito do Pai e do Filho’. O Credo da Igreja, do Concílio de Constantinopla, confessa: ‘Com o Pai e o Filho ele recebe a mesma adoração e a mesma glória’.”

Catecismo da Igreja Católica – 244 e 245
Não cabe a nós querer entender este mistério do nosso Pai (se assim tentar, comece a colocar a água do mar no buraco da areia) e sim nos cabe amá-lo e adorá-lo pelas infinitas provas de amor que Ele nos dá sempre... Amá-Lo como Pai criador que nos deu a vida, como Filho redentor que nos salvou e nos deu a vida eterna, e como Espírito Santo que nos santifica, que nos une plenamente ao Pai e ao Filho, e que abençoa através dEles...

Glória ao Pai Criador... glória a Ele com amor...
Glória ao Filho, Filho da Luz, Glória a Ele Cristo Jesus!
Glória eu digo...Glória eu canto...Glória ao Espírito Santo!

Mariana Borges, Juliana Borges, Antônio Cezar
Grupo de Jovens Ágape
De Volta ao Primeira Amor

domingo, 27 de dezembro de 2009

Luz...seja luz...para aqueles que precisam encontrar Jesus!


Uma luz brilha somente no escuro, nós devemos levar essa luz que é Jesus até nossos irmãos que vivem uma vida na escuridão.

E todos nós somos chamados a essa missão, Deus deu para cada um dons através do Espírito Santo e devemos usar esses dons para a vontade e a obra do Pai...


Não pensemos que não somos capazes, porque a partir do momento que pegamos nas mãos de Deus e colocamos nossos dons a serviço, Ele nos fortalece!!!

Jesus chamou para caminhar ao Seu lado pessoas simples e humildes, e Deus os capacitou, por isso... Deus não escolhe os capacitados e sim CAPACITA os escolhidos.

Se você é escolhido coloque seus talentos em favor do próximo, em favor de Deus... Você coloca seus dons a dispor? Você procura ajudar ao irmão? Reflita!!!


Saibamos reconhecer quais são os talentos que Deus nos deu e não tenhamos medo de colocá-los a serviço, não sejas igual ao empregado que enterrou seu talento, vamos multiplicá-los para podermos ouvir de Deus “Servo bom e fiel, lhe concedi esse talento e tu o multiplicaste.” Porque se não usamos nossos talentos Deus nos tira e dá a quem o quer, porque ele não dá algo a alguém que não queira usá-lo.

“Aquele que é chamado ao ministério, dedique-se ao ministério. Se tem o dom de ensinar, que ensine; o dom de exortar, que exorte; aquele que distribui esmolas faça-o com simplicidade; aquele que preside, que presida com zelo; aquele que exerce misericórdia, que faça com afinidade.” Rm 12, 7 – 8

Neste sábado tivemos também a alegria de receber em nosso encontro o Pe. Julio César, que nos deixou a seguinte mensagem. Numa sociedade marcada com valores que não edificam a nossa vida, busquemos colocar nossos dons a favor não só da igreja, mas em favor de toda sociedade e dos irmãos... Pe. Julio também nos falou que é importante que vivamos nossa religião no mundo, sejamos diferentes lá fora nos lugares onde freqüentamos e lembremos “que tudo nos é lícito, mas nem tudo nos convém”.

Para reflexão fica a letra da música Seja Luz...

Seja Luz

Composição: Dalvimar Gallo.

Todo aquele que entrega a vida nas mãos de Jesus,
Absorve e armazena o poder da Sua luz.
Tendo uma vela acesa, coloque-a sobre a mesa.
Pra anunciar o Reino do Céu às nações, assim seja!

Luz! Seja luz, Para aqueles que ainda precisam encontrar Jesus.
Seja luz! Mostre ao mundo que vive nas trevas que existe uma luz É Jesus. É Jesus.

Vem Espírito Santo, traz luz ao meu coração.
Faz de mim um luzeiro pra vida do meu irmão.
Vou semear a Sua paz. Quero ensinar o Seu amor.
Unja-me dá-me a graça de ser o Seu servo, Senhor!


Por Italo Tiago e Antônio Cezar
Grupo de Jovens Ágape

De Volta ao Primeiro Amor

A alegria do Senhor é a nossa força!


Partilhamos de uma dinâmica trazida pela Renata que consistia em escrevermos em um pedaço de papel uma frase, uma passagem, um trecho de uma música, algo que nos deixasse alegres.


E então esses papéis foram trocados entre os participantes do grupo, o objetivo desta dinâmica era que nós integrantes nos conhecêssemos melhor uns aos outros, para sabermos o que traz felicidade, alegria ao irmão. E que mesmo, e principalmente, nas pequenas coisas e pequenos gestos podemos levar o sorriso e a felicidade ao próximo, que nós estejamos sempre dispostos a levar essa alegria aos irmãos.


Foi dito também nos deixou a mensagem do quanto é importante irmos a Santa Missa, e principalmente irmos de coração aberto e piedoso para recebermos aquEle que deu a vida por cada um de nós. E mesmo que ás vezes algum domingo estejamos com o coração fechado e triste, devemos ir a Santa Missa, pois esta é a hora onde o amor de Deus é derramado sobre cada coração quebrando e rompendo todas as barreiras.


Devemos sempre pedir a Deus que quebre o nosso coração de pedra, nosso coração fechado, e que Ele possa nos dar um coração piedoso e sincero, pronto para encontrar a felicidade naquEle que é a fonte de toda alegria.


Muitas vezes procuramos a felicidade em lugares onde ela não pode ser encontrada, ou então, vivemos uma felicidade falsa. A verdadeira e única alegria esta em Deus, aquEle que nos criou, que nos conduz, que nos ama infinitamente.


Deus nos deixou a seguinte passagem do grande apóstolo Paulo:


“Alegrai-vos sempre no Senhor, Repito: Alegrai-vos! Seja conhecida de todos os homens a vossa bondade. O Senhor está próximo. Não vos inquieteis com nada! Em todas as circunstâncias apresentai a Deus as vossas preocupações, mediante a oração, as súplicas e a ação de graças. E a paz de Deus, que excede toda a inteligência, haverá de guardar vossos corações e vossos pensamentos, em Cristo Jesus.” Filipenses 4, 4-7


Que nós possamos nos alegrar a cada instante em Deus nosso Senhor, por tudo que Ele faz por nós, por todo o amor que Ele tem por cada um de nós.


A alegria do Senhor é nossa força...

A alegria do Senhor é nossa força...

A alegria do Senhor é nossa força...

A nossa força é o Senhor Jesus...

Por Renata Alves Dias e Antônio Cezar

Grupo de Jovens Ágape

De Volta ao Primeiro Amor

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Aniversário Ágape


É com muita alegria que o Grupo de Jovens Ágape comemora os seus 2 anos...

Em uma confraternização super animada o grupo se reuniu para festejar os dois anos de existência do Ágape...unidos na amizade e na fé em Deus tivemos momentos muito descontraídos numa comemoração para lá de brega...





Agradecemos a Deus a união e fortaleza deste grupo que se firma nos propósitos de aprofundar nos estudos de nossa fé, partilhar os nossos dons e os colocar a serviço da comunidade e do próximo...

Fim de ano...época de natal...enfim o grupo conclui o ciclo de 2009 com muitos frutos...uma equipe unida, coesa, divertida e principalmente comprometida em aprender sempre mais e disponibilizar o nosso tempo, o nosso saber e a nossa vida em prol de uma sociedade mais justa...

O que fazemos aos olhos de quem está de fora pode ser pouco...mas se tiverdes fé do tamanho de um grão de mostarda poderás transportar montanhas...então é nosso pouco que fazemos muito...e tenho a plena certeza que fazemos a diferença na vida e na caminhada de cada um...

Num clima de oração encerramos as atividades deste ano de 2009...mas em janeiro estaremos de volta para vivenciarmos mais um ano de aprendizado e persistência na fé... Q Deus nos ajude!!!! e que Maria passe a frente!

"Preciso da sua amizade, da sinceridade e do seu carinho...você pode não parecer com o meu jeito de ser...mas vc é mto especial!!!!!

Virginia Castro
Grupo de Jovens Ágape

sábado, 5 de dezembro de 2009

A importância do jovem na Igreja


A Igreja têm dado cada vez mais atenção à juventude. As pastorais da juventude, grupos e movimentos jovens ganharam mais força e incentivo nas últimas décadas.

A Jornada Mundial da Juventude, onde os jovens do mundo se encontram com o Papa, é igualmente recente, a primeira ocorreu em 1986.

Esse anseio de querer aproximar o jovem da Igreja tem uma das causas no reconhecimento da importância do jovem para a Igreja.

O Papa João Paulo II em 1987, durante a II Jornada Mundial da Juventude em Buenos Aires, disse: “Quero repetir a vós, mais uma vez, o que tenho dito desde o primeiro dia de meu pontificado, que vós sois a esperança do Papa, sois a esperança da Igreja.”

Porém, há outro motivo, para promover essa aproximação: a crescente preocupação com os caminhos que a juventude vêm tomando. A juventude é marcada pela descoberta do mundo e de si mesmo. É tempo de cultivar e lutar por ideais e sonhos em um desejo intenso de mudar o mundo. É tempo de amadurecimento, ganho de responsabilidade e aprender a fazer escolhas com liberdade, que é dom de Deus.

No entanto, os jovens estão perdendo essas características, e no lugar estão se tornando cada vez mais frustrados, ansiosos, conformistas, acomodados, consumistas e irresponsáveis.

A rebeldia é típica da juventude, é o que faz com que o jovem não se conforme com a realidade e busque mudá-la, várias mudanças na sociedade foram iniciadas por jovens. Porém a verdadeira rebeldia deu lugar a uma falsa, baseada no consumismo exacerbado e não respeito aos outros a si mesmo, através de atos que denigrem o próprio corpo, e principalmente a alma, e que também prejudicam ao próximo.

A Igreja ao se aproximar dos jovens busca resgatar neles o verdadeiro espírito da juventude, fazendo com que eles a vivam intensamente e em comunhão com Deus. O Papa Bento XVI em sua visita ao Brasil em maio de 2007 fez questão de um encontro com os jovens.

Em seu discurso para milhares de jovens de toda América Latina, ele fez o seguinte apelo: “[...] não desperdiceis vossa juventude. Não tenteis fugir dela. Vivei-a intensamente. Consagrai-a aos elevados ideais da fé e da solidariedade humana. Vós, jovens, não sois apenas o futuro da Igreja e da humanidade, como uma espécie de fuga do presente. Pelo contrário: vós sois o presente jovem da Igreja e da humanidade. Sois seu rosto jovem. A Igreja precisa de vós, como jovens, para manifestar ao mundo o rosto de Jesus Cristo, que se desenha na comunidade cristã. Sem o rosto jovem a Igreja se apresentaria desfigurada.”

Por isso, jovem, tenha coragem de atender ao apelo do Papa. A Igreja e a sociedade precisam que atendamos a ele. Nós também precisamos atende-lo, para que possamos encontrar o verdadeiro sentido de nossa juventude e nossas vidas, que está na vivência do amor de Deus.

Mariana Prado Borges - Grupo de Jovens Ágape

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Maria - a mãe de Jesus...

QUEM É MARIA PARA OS CATÓLICOS?


video

Quero aqui citar a obra consagrada, o clássico "TRATADO DA VERDADEIRA DEVOÇÃO À SANTÍSSIMA VIRGEM" de S.Luís Maria Grignion de Montfort, para expressar claramente o que a Igreja ensina sobre a Virgem Maria. Vejam os trechos a seguir.

"Confesso com toda a Igreja que Maria é uma pura criatura saída das mãos do Altíssimo. Comparada, portanto, á Majestade Infinita, ela é menos que um átomo, é antes um nada, pois só Ele é "Aquele que é"(Êxodo 3:14) e, por conseguinte, este grande Senhor, sempre independente e bastando-se a Si mesmo, não tem, nem teve jamais necessidade da Santíssima Virgem para a realização de suas vontades e a manifestação de Sua glória. Basta-Lhe querer, para tudo fazer."(página 25).

Essas afirmações do autor, são um golpe certeiro naqueles que acusam a nós, católicos, de adorar Maria e colocá-la em igualdade com Deus. Segue-se outro trecho.

"Maria está infinitamente abaixo de seu Filho, que é Deus, e, portanto, não Lhe dá ordens, como uma mãe terrestre as dá a seu filho. Maria, porque está toda transformada em Deus pela graça e pela glória que, em Deus transforma todos os santos, não pede, não quer, não faz a menor coisa contrário à eterna e imutável vontade de Deus."(páginas 32 e 33).

Outra prova contra os que nos acusam de colocar Maria acima de Deus! Maria, para nós, não é deusa, nem pode, nem é e nem nunca será adorada. Aos evangélicos que aqui por várias vezes disseram que "só adoram a Deus e mais ninguém", saibam que os católicos também, como acabei de provar com uma obra consagrada e publicada até hoje, mostrando assim como a Igreja Católica crê em relação a Doce Virgem Maria. Amo Você Mãe querida, e sou e serei para sempre teu filho e servo, pois visto que como o sábio Montfort disse tu és "infinitamente menor que Deus" e eu complemento dizendo, "porém infinitamente maior do que eu, teu filho e servo"! Te amo, Mãe!

Grupo de Jovens Ágape
De volta ao primeiro amor

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Há Propósito na Evolução?


Por MSc. Alexandre Zabot
Físico, mestre e doutorando em Astrofísica

A Igreja Católica não propõe uma teoria científica para a criação, não é o papel dela. No entanto a Igreja ensina, com base nas Sagradas Escrituras, que há propósito de Deus na criação e ele pode ser percebido pelo homem. Também ensina a Igreja que a ciência verdadeira não se opõe à fé. A conclusão natural para qualquer católico, portanto, é que se uma teoria científica para a criação é verdadeira ela não terá conflito algum com a fé católica. É neste contexto que precisamos entender a oposição de muitas pessoas à teoria da evolução de Darwin. Elas acreditam que a teoria de Darwin elimina o propósito de Deus na criação. Mas por que pensam assim e, será que isso é mesmo verdade?

Geralmente o primeiro argumento contra qualquer evolução, não só a biológica mas também a do universo, é o livro do Gênesis. Sabemos, entretanto, que do ponto de vista católico não há motivos para acreditar na interpretação literal do relato da criação. Deve ser compreendido como uma metáfora. De fato, entre os que se opõe à teoria de Darwin, poucos se baseiam numa interpretação literal da Bíblia. Até mesmo porque cientificamente a evolução biológica é um fato mais do que comprovado. A evolução do universo também já foi provada depois que Edwin Hubble verificou observacionalmente a teoria do Big Bang proposta pelo padre jesuíta Georges Lemaître. A física, hoje, não duvida desta descoberta. A expressão de conservação das massas do católico Lavoisier, “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”, deve ser entendida num sentido mais amplo, cientificamente, de que o paradigma da evolução faz parte da ciência moderna.

A evolução é um fato, a teoria é a explicação do fato. Embora as teorias possam estar erradas e mudar, os fatos experimentais não mudam! Do ponto de vista filosófico e teológico o argumento realmente sério é se a teoria de Darwin se opõe ou não ao Propósito de Deus na criação. Esta é a pergunta que realmente importa. A teoria de Darwin, muito aprimorada depois da descoberta da genética pelo monge agostiniano Gregor Mendel, está baseada no conceito de mutações genéticas aleatórias que acontecem na reprodução. Ao longo de milhares de anos estas mudanças fariam que uma população se aprimorasse, evoluísse, através de vários mecanismos, dentre eles a sobrevivência do mais apto.

É justamente a ideia de aleatoriedade das mutações que gera a grande controvérsia pois significa literalmente que as mudanças acontecem ao acaso, sem propósito. Isso implica (será?) que todas as espécies surgiram ao acaso, inclusive nós. Basicamente existem três posturas frente a essa conclusão: nega-se a evolução, aceita-se a evolução mas não a “aleatoriedade” das mutações ou então aceita-se a evolução e a aleatoriedade mas nega-se a consequência de acaso devido às mutações aleatórias. Como foi visto antes, a primeira postura vai contra tudo que a ciência moderna sabe e contra o que convém chamar de “paradigma evolutivo da ciência”. Para dizer pouco, pode-se falar que não é uma posição defensável com a razão, hoje. E como há séculos a Igreja defende que a fé e a razão se complementam, ir contra o fato (não a teoria) da evolução não é uma boa posição para os católicos. O frade franciscano Roger Bacon, um dos pais do método científico, que o diga!

A segunda posição é conhecida com “Design Inteligente”, diz que não há aleatoriedade nas mudanças que acontecem entre uma população e outra, mas que Deus controla tudo. Seus principais defensores tentam lançar mão de uma proposta científica, a complexidade irredutível, para justificar esta posição. Entretanto, argumenta-se muito nos meios científicos que esta teoria não é falsificável e que portanto não é científica. Particularmente, concordo com esta crítica. Não pode-se esquecer que também do lado teológico o Design Inteligente não é bem visto sempre. Muitos alegam, com propriedade, que ele apela a um “Deus das lacunas”, que vive remediando sua criação. Os católicos creem que Deus cria e mantém a sua obra, porém “manter” não significa “consertar”, apesar do “ato criador” poder se estender no tempo. Mas a ação de Deus no Design Inteligente está mais para remendo do que para criação.

A terceira posição, que me parece mais correta, afirma que não há consequência lógica entre “aleatoriedade na mutação” e “aleatoriedade das espécies”. O propósito de Deus está em ter criado um mundo que tem leis naturais que invariavelmente conduzem ao universo como conhecemos hoje. Se as mutações genéticas são aleatórias, as leis físicas não são e conduzem a natureza para um fim específico, em última análise desejado por Deus, que é o criador destas leis. Uma analogia pode ajudar a compreender esta visão. Imagine um estádio de futebol lotado onde explode uma bomba que faz as pessoas quererem sair do estádio. Cada indivíduo é livre para correr na direção que quiser. De fato, uns correm para a saída e outros não. Ou porque estão perdidos ou porque acham que podem ser pisoteados no tumulto, não se sabe. No final a maioria das pessoas se salvaram. Foi o acaso ou foi porque as pessoas têm uma tendência natural de procurar a saída e o engenheiro pensou nos possíveis canais de fuga quando construiu o estádio?

Seguindo esta analogia é evidente que todos os caminhos que levam da “aleatoriedade da mutação” para o surgimento de uma nova espécie (e nós) podem ser compreendidos como o Propósito de Deus na criação. Há inúmeros agentes biológicos, físicos, geológicos e climáticos que controlam todo o processo. Deus que é onisciente certamente sabe que fim levará sua criação e não precisa interferir desnecessariamente criando olhos aqui, asas acolá. Precisamos refletir bem no significado da onipotência de Deus.

Alexandre Zabot
Físico, mestre e doutorando em Astrofísica pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC)